Sexta, 15 de Dezembro de 2017

Procure


Um tributo a Hiroshima PDF Imprimir
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

 

   

     No dia 06 de agosto de 1945, foi dada uma grande prova da irracionalidade humana na cidade de Hiroshima, Japão: a primeira bomba atômica usada efetivamente como arma letal. Lançada sobre aquela cidade dizimou prática e instantaneamente cerca de 75 mil pessoas.
     Para lembrar a data fatídica, no dia 06 de agosto de 2008 a unidade Lafaiete do COC de Ribeirão Preto, fui convidado para fazer uma palestra. Falei sobre “Hiroshima & Nagasaki – Marcas do Passado” para os alunos do ensino médio e pré-vestibular do COC Lafaiete, em Ribeirão Preto, SP. Além de ouvirem a história da radioatividade e do lançamento das bombas atômicas sobre as cidades, os alunos aprenderam a confeccionar o tsuru em origami,  que são dobraduras de papel.
     O tsuru é uma ave sagrada para a tradição japonesa, símbolo de sorte, paz, felicidade e longevidade. Diz-se que se alguém estiver doente e fizer mil dobraduras desta ave, será curado.
     Mais recentemente tornou-se também um símbolo internacional da paz, resultado da sua relação com a história da garota Sadako Sasaki, sobrevivente (hibakusha) de Hiroshima, à época com apenas dois anos de idade.
     Aos 11 anos, Sadako teve um diagnóstico de leucemia, conseqüência da radiação emitida pela bomba atômica que, ao longo do tempo, vitimou a menina e muitos outros sobreviventes.
     Ao visitar Sadako no hospital, um amigo falou-lhe da lendária crença japonesa dos mil origami de tsuru. Ela não fez por menos: imediatamente passou a colecionar as dobraduras, Infelizmente, morreu antes de completar a milésima, em 25 de outubro de 1955.
     Os amigos fizeram as que faltavam e iniciaram uma campanha para a construção de um monumento à Sadako e às demais crianças vítimas da bomba atômica.
     Pronto dem 1958, o monumento foi levantado no Parque da Paz, em Hiroshima, o qual mostra uma imagem de Sadako segurando um tsuru sobre uma inscrição que manisfesta o desejo de todas que ajudaram a contruí-lo.
 
"Este é o nosso grito, esta é a nossa oração, paz no mundo".
 
     Na oportunidade da visita feita às unidades parceiras do COC no Japão, levei até o monumento de Sadako Sasaki, os origami de tsuru feitos pelos alunos presentes à palestra em Ribeirão Preto. Foi um gesto que representou a conscientização dos alunos frente ao nocivo emprego da tecnologia nuclear para fins militares.
     O local está sempre cercado de manifestações como essa dos próprios japoneses, bem como de pessoas de outras partes do mundo. Esta matéria é homenagem dos alunos do COC Lafaiete às crianças vítimas da bomba atômica de Hiroshima.