Sexta, 15 de Dezembro de 2017

Procure


A Guerra Fria

 

     Os EUA realizaram mais duas provas de bombas atômicas em 1946, no atol de Bikíni, no Pacífico, a fim de conhecer-lhes os efeitos sobre navios de guerra.
    
     Teste Nuclear no Pacífico
    
     Realizaram mais três provas, com bombas aperfeiçoadas, na Ilha de Eniwetok, na primavera de 1948, seguidas por outras quatro, em 1951. Neste ano, foram experimentadas outras 12 bombas, no Estado de Nevada, que continuou sendo o campo de provas atômicas.
     A 14 de julho de 1949, foi noticiada a ocorrência de uma explosão atômica na URSS. Seguiram-se os ingleses a 3 de outubro de 1952. A França explodiu sua primeira bomba em 1960, no Deserto do Saara. Em 1952, na Ilha de Elugelab, no Pacífico, os EUA detonam a sua primeira Bomba H, eliminando-a do mapa.
   
  Ogivas Nucleares 
   
  
      Submarino Nuclear
       
     Em 1 de março de 1954, no atol de Bikíni, novamente, estouram outra Bomba H. Esta bomba e as demais que se seguiram incluem, em sua seqüência, três reações: fissão nuclear, fusão nuclear e novamente fissão nuclear. A fusão nuclear consiste na junção de atómos de deutério ou trítio, isótopos do hidrogênio com liberação de energia muito maior que nas fissões nucleares, conforme reação abaixo:
  
 1H2 + 1H3  -------> 2He4 + 0n1 + Energia
 
     Para se conseguir tal reação, é necessária uma temperatura de milhares de graus Celsius. Isto se consegue através da detonação de bombas atômicas, usadas como espoletas para explodir as denominadas Bombas H. A força destrutiva da Bomba H é de 600 a 700 vezes maior que a das bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki.
   
(*) 1 quiloton equivale a mil toneladas de TNT (dinamite).